Clínica de recuperação evangélica

Clínica de recuperação evangélica funciona? Sim, na mesma proporção que qualquer outra, desde que considere que a dependência química é uma doença e que é necessário um tratamento que engloba o trabalho de médicos, psicólogos, terapeutas e um projeto de recuperação bem definido. Funciona da mesma forma que diversos hospitais mantidos por determinadas religiões ou filosofias. O que não funciona? Quando um líder religioso, seja pastor, padre ou de qualquer outra vertente, promete curas milagrosas, explorando a fé das pessoas. Aí é preciso tomar cuidado!

Na TV e em programas de rádio, grupos religiosos prometem livrar as pessoas do “vício em drogas” por meio da fé, alguns mediante ofertas dos fieis, outros por meio de participação na igreja ligada a estes pastores ou bispos. Para evitar frustrações ou problemas maiores, entretanto, familiares de dependentes químicos devem levar em conta certos fatos.

Dependência química doença ou misticismo?

Em primeiro lugar, dependência química não é um vício e não tem nada a ver com misticismo. De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), é uma doença e deve ser tratada por profissionais da área da saúde. Abordagens médicas e psicoterapêuticas são as que conseguem maior êxito no tratamento. Enfrentar o problema pelo ponto de vista religioso ou místico pode agravá-lo em vez de resolvê-lo.

Leia Também: A importância da clínica de recuperação

A fé pode ajudar no combate do vício?

Por se tratar de uma doença que abrange também o estado emocional da pessoa, toda força que canaliza a vontade de se reabilitar pode ser benéfica, conforme determinadas abordagens psicoterapêuticas. Isso inclui a motivação advinda do pensamento nos filhos, nos pais, do objetivo de recomeçar a vida e também a da fé (inclusive em si próprio). Entretanto, apenas crenças, doutrinas ou dogmas, ainda mais quando o paciente não tem o acompanhamento profissional necessário que o conduza neste processo de recuperação, podem não resolver.

E o que explica os dependentes químicos curados em cultos?

Embora seja possível parar de usar drogas por força própria ou com fé em um ser superior, a imagem de um fiel aparentemente sendo “curado” em um vídeo no Youtube ou em um culto não pode servir de parâmetro para considerar que a religião cura dependentes químicos. Por outro lado, pessoas que prometem curas de doenças sem qualquer formação na área da saúde podem ser enquadradas por charlatanismo, curandeirismo e exercício ilegal da medicina. É preciso ficar atento a eventuais fraudes presentes na internet.

E o que fazer, então?

Se há, em sua família, alguém que esteja abusando de álcool ou outras drogas, procure tratamento em uma instituição confiável. Certifique-se que é uma organização séria e especializada. Confira o site da clínica de recuperação de Tratamento Saúde Premium e tire todas as suas dúvidas sobre drogas e tratamentos.

Clínicas de recuperação evangélicas não são a única forma de ajuda

Muitas igrejas têm um papel importantíssimo no combate às drogas, no Brasil, sobretudo com a organização de grupos de apoio e na prevenção. Outras mantêm comunidades terapêuticas ou até mesmo clínicas de recuperação evangélicas que promovem o tratamento. Estas são formas corretas de desenvolver um trabalho com uma missão séria.

Para finalizar

Acreditamos que muitos líderes religiosos agem de boa fé. Porém, devido ao fato de trabalharmos com profissionais que se especializaram no tratamento da dependência química, pesquisaram o assunto a fundo, estão atualizados às determinações da OMS a respeito de tratamento de drogas, tratam pacientes todos os dias, temos convicção de que não é possível falar de tratamento sem considerar a intervenção de profissionais da saúde. Seria como pedir a um curandeiro que opere um paciente com tumor do cérebro. Você confiaria? A mesma pergunta deve ser feita quando se trata de drogas.