Clínica de Recuperação com Internação Involuntária

Clínica de Recuperação com Internação Involuntária

Clínica de Recuperação com Internação Involuntária

Muitas famílias chegam até a Clínica de Recuperação Saúde Premium com dúvidas sobre a internação involuntária. Diversas polêmicas cercam esse tipo de intervenção, muitas vezes adotada pela família em um ato de amor e de esperança para salvar a vida daquele ente querido.

Para desmistificar o assunto e ajudar as famílias a identificarem se essa é a abordagem correta para o seu caso, reunimos uma lista com 6 pontos básicos sobre a internação involuntária.

1 O que é internação involuntária?

A internação involuntária é um procedimento utilizado, geralmente a pedido da família, para internar o paciente contra sua vontade. Ou, em alguns casos em que o paciente não está em plenas condições de decidir por si – debilitado física ou mentalmente por conta do abuso de drogas – este recurso também é utilizado.

2 Tratamento e internação involuntária é a mesma coisa?

A internação é o processo pelo qual o indivíduo é levado até a Clínica de Reabilitação. Normalmente, após uma internação involuntária, o paciente acaba aderindo voluntariamente ao tratamento à medida que vai compreendendo que é o melhor caminho para si e para sua família, vai observando melhoras em seu estado de saúde. De maneira geral, quanto mais facilmente o paciente muda sua visão em relação ao tratamento, melhores são as chances de recuperação.

3 Quando é necessário este tipo de internação?

A internação involuntária é um dos últimos recursos para que o dependente químico tenha acesso a um tratamento. De maneira geral, quando ele representa risco a si (suicídio, overdoses, fuga de casa, acidentes de carro ou moto) ou para a família, recomenda-se que os familiares busquem a internação involuntária. Em estado de negação, é improvável que ele busque ajuda sozinho, mesmo que os sinais de que ele precisa sejam claros.

 

4 Existe alguma lei específica para a internação involuntária?

Sim, a lei 13.840/19, que determina que a internação involuntária deve ser realizada após médico responsável formalizar decisão por este tipo de internação. Conforme a lei, a família ou o representante legal poderão, a qualquer tempo, pedir ao médico a interrupção do tratamento. A norma também dispõe sobre o acolhimento dos usuários ou dependentes de drogas em comunidades terapêuticas acolhedoras.

 

5 Como internar um dependente químico?

Primeiro, é preciso analisar a clínica de recuperação que irá fazer esta internação. É preciso checar se há médico responsável para tomar esta decisão e pesquisar se há uma equipe de profissionais preparadas para fazer este trabalho. No caso da Saúde Premium, todas as normas exigidas pela legislação são necessárias. A partir do momento em que a família percebe que a internação involuntária em clínica de reabilitação é necessária, basta entrar em contato com a nossa equipe.

 

6 Qualquer clínica de recuperação ou comunidade terapêutica está apta para a internação involuntária?

Não. Por isso é preciso checar se a clínica de recuperação ou comunidade terapêutica escolhida conta com os recursos e profissionais necessários.

Como vimos, a internação involuntária, além de um recurso amparado pela legislação, é um procedimento extremamente necessário se o dependente químico representa risco a si ou a outras pessoas. Desde que seja feita por Clínicas que realizam o procedimento de forma profissional, como a Saúde Premium, o método é muito seguro. Outro ponto a ressaltar que é a internação que é involuntária, não o tratamento. Com o decorrer do tempo, normalmente o paciente entende o ponto que levou a família a tomar esta atitude e percebe que é o melhor para garantir sua saúde.